LIVE EA ALUMNI CONTRA A CRISE – 19/04/2020

CÁSSIO BOBSIN

Formado em ciências da computação pela UFRGS, com pós graduação na Escola de Administração da UFRGS, ESPM, Stanford e recentemente OPM de Harvard. O Cássio é um empreendedor, que já fundou várias empresas, entre elas a WOW Aceleradora e a Zenvia, na qual atualmente é o CEO, além de investidor, mentor, chairman, conselheiro e palestrante.

Cássio Começou com 18 a empreender. Enquanto estudava na graduação já estava empreendendo. A própria Zenvia se desenvolveu enquanto fazia o PPGA.

Para ele, é importante ter uma ideia e o ímpeto empreendedor, porém o estudo e a base ajudam a estruturar a execução e fazer dar certo. São conhecimentos complementares. Além disso, aprender como os outros fizeram ajuda a errar menos (e desperdiçar menos recursos consequentemente).

O que foi feito na Zenvia?

Durante a crise do coronavírus, tiveram a preocupação na Zenvia de ir para o home office e garantir que a equipe estivesse bem. Além disso, buscaram garantir que fosse um porto seguro para as pessoas. Aderiram ao movimento “Não demita” e enviaram os computadores e cadeiras para as casas dos funcionários. Além disso, estão fazendo aula de yoga online para os funcionários relaxarem.

Qual o papel do líder empresário para uma comunidade e para a sua região?

É uma oportunidade única, onde você consegue diferenciar quem “senta e reclama” de quem “arregaça as mangas, vai e faz”. É um momento único para os líderes fazerem a diferença nos negócios e na vida das pessoas. Na Zenvia estão fazendo uma série de iniciativas de impacto social: disponibilizaram um chatbot para tirar dúvidas sobre o Covid-19, estão ajudando as autoridades públicas a direcionar e orientar a população, direcionando ou não ao serviço de saúde, e identificando os locais de foco comunitário.

“Você não irá conseguir criar uma estrutura e autonomia nas pessoas de uma hora para a outra. Depende da cultura da empresa.”

Quem tem filhos em casa é mais difícil. Na Zenvia estão bem tolerantes quanto a isso. Devido à crise, transformaram a confraternização mensal de resultados enviando alguns petiscos e bebidas para os funcionários em suas casas, para não perder a experiência de confraternização.

“Todo o jogo precisa ser como um final! Precisa levar a sério e entrar para vencer sempre!”

Adoção de canais digitais deu uma aceleração gigantesca nos últimos dias. No geral, as indústrias têm seguido com algumas restrições, porém quem mais foi afetado foram os serviços e comércio. As últimas semanas foram muito difíceis para vários segmentos, mas a recuperação e adaptação tem sido bem rápida. O pequeno negócio está precisando se adaptar rapidamente, mas estão dando o seu jeito. É incrível como os pequenos negócios conseguem ser criativos nesse momento.

Nesse momento é possível observar quem é empreendedor por necessidade e quem é por oportunidade.

O que esse momento pode servir de expiração?

Existe um engajamento de pessoas que estão voltadas e se conectando para fazer algo maior. É um momento único de surgir um movimento de pessoas que querem transformar para o bem.

As empresas do RS estavam preparadas para esse momento?

Existem as empresas tradicionais (mais conservadoras), mas existe uma outra onde de empresas mais inovadoras, que fazem uma adaptação mais rápida. Para quem estava preparado para a transformação digital será uma grande oportunidade, para quem não estava pode ser mais difícil, e até poderão não sobreviver.

Agora todo mundo está virando consumidor digital. O que a gente tem é um grande volume de novos entrantes em todos os segmentos com canais digitais. Após essa transformação, a forma como as empresas e clientes usarão a tecnologia será diferente. Muitos clientes e empresas passaram a conhecer o uso de ferramentas online, e não voltarão 100% ao que era antes, o que é muito bom.

“Uma vez que você ganha conhecimento, nunca mais ninguém tira de você”.

O que será esse novo normal? Como serão as coisas após a volta?

As UTI’s de outras doenças estão vazias. Várias outras doenças estão caindo.

As pessoas aprenderam sobre algo melhor, e não irão querer voltar ao que era antes. Haverá um novo normal.

As empresas tem muito a aprender com as startups, mas a transição é muito difícil. Em primeiro lugar, precisa trazer a cultura de agilidade na execução e tomada de decisão. Depois, o próximo passo pode ser contratar serviços de startups, que são mais ágeis e rápidas, que tem riscos, porém é possível aprender com elas. O grande problema das grandes empresas é que as estruturas organizacionais maiores se tornam mais avessas ao risco, o que impede a inovação.

Esse é um momento ímpar na história de cada pessoa. Iremos lembrar daqui a 50 anos. Temos diversas reflexões. Podemos reclamar, ou podemos escolher uma causa e impactar o mundo de alguma forma. É um momento onde fazemos escolhas e fazemos algo de útil pela sociedade. O mundo está precisando da ajuda de todos.

Costumamos esperar demais do governo, e ele tem a capacidade de dificultar ou facilitar as coisas, mas não de resolver os problemas.

“Para gerar impacto não precisa aparecer, basta fazer!”

Como entrar em contato?

Linkedin: Cassio ou Zenvia

FELIPE WALLAU

Graduado em Administração de Empresas – Empreendedorismo e Sucessão PUCRS, com MBA e Pós-MBA pela FGV, Felipe tem a sua carreira no setor financeiro, tendo passado por bancos como Banrisul e Credit Suisse no início de sua carreira, e estar há mais de 11 anos na Trust Investimentos, onde é sócio.

Foco não é transacional, mas sim em relacionamento e confiança do cliente.

O foco é mercado financeiro e captação.

Caixa ou previsibilidade de caixa está muito difícil para as empresas nos últimos dias. Empresas atualmente estão apagando incêndio. Algumas empresas que estão diversificando tendem a sobreviver melhor no longo prazo, porém a maioria não consegue ter essa dinâmica, de se reinventar. Trust está se reinventando em algum nível, fazendo home office e mantendo horários das reuniões semanais. Qualquer erro que a empresa cometa agora pode ser fatal.

Falando de captação de recursos, as empresas podem captar através de equity ou através de bancos. Para equity o momento é difícil, pois quem tem caixa está segurando para ter maior previsibilidade. Até mesmo para os acordos firmados antes de estourar a crise há uma incerteza se conseguirão cumprir. Foco financeiro agora precisa ser cortar custos e revisar contratos, além de alinhar com aqueles contatos que a empresa já possui: fornecedores e clientes.

O que existe possibilidades de captação?

Bancos tradicionais, bancos de fomentos (BNDES, Finep). O acesso a bancos de fomento pode ser direto ou através de agentes repassadores locais (BRDE, Badesul, Caixa). O foco de crédito direto do BNDES são empresas maiores, porém há linhas diretas para pequenas empresas. Vale ressaltar que agentes repassadores locais são muito interessantes.

Bancos repassadores estão liberando o recursos?

Sugestão: acompanhar lives do Gustavo Montezano, presidente do BNDES. Bancos comerciais têm uma agilidade maior, porém o custo efetivo e a taxa é maior. BNDES é uma opção pouco explorada ainda, e possui um preconceito de que só grandes empresas poderão captar, porém qualquer empresa pode acessar o BNDES.

Empresas, entretanto, não podem olhar o BNDES como a salvação, mas sim como âncora para crescer. O modelo de negócio da empresa precisa ser um negócio sólido, e BNDES servirá para ampliar. 

“Quem cria riqueza é a iniciativa privada!”

BNDES está agindo no financiamento da folha de pagamento (até 2 meses, e até 2 salários). Possui também uma linha específica para o setor de saúde nesse momento, que vale a pena empresas desse setor observarem.

Além disso, possui linha de capital de giro para empresas com faturamento até R$ 300 milhões. Não é necessário projeto para acessar essa linha. Com bancos de fomento o processo é um pouco mais longo do que um banco normal e exige uma contrapartida da empresa em um projeto. Todas as linhas com bancos de fomento possuem carência de amortização, umas maiores e outras menores.

Um dos problemas é que muitas vezes as empresas ainda não possuem um projeto, o que impede de acessar diversas linhas de fomento. O melhor caminho é a empresa já ter um projeto, para posteriormente captar recursos.

Como as empresas podem se preparar para a captação de recursos?

Empresas precisam ter uma contabilidade redonda. Se a empresa não fez o seu dever de casa contábil há uma dificuldade muito maior para a captação de recursos. Por outro lado, empresários que já fizeram contato com banco ou de M&A sabem o problema de não ter a contabilidade em dia e costumam estar mais preparados para fazer a captação. Além de ser necessário uma contabilidade para saber seus resultados, vai facilitar para a empresa acessar o capital da melhor forma.

“Uma empresa com saúde financeira e contabilidade boa sempre vai acessar melhores taxas.”

Como fazer uma aproximação com as fontes de recurso para quando precisar do recurso?

“Não adianta fazer o seguro quando o carro já foi roubado!”

Sempre é importante manter o relacionamento com as fontes de recursos. Criar a base de relacionamento com as pessoas dos bancos (funcionários de carreira, com poucas trocas) é fundamental.

Atualmente os bancos estão focando em manter os contratos com os clientes atuais, e depois irão para novos contratos. O cenário é de muita incerteza. Não sabemos quando irá passar.

Mensagem final

Empresas precisam se preparar para acessar esse capital no longo prazo. Quem precisar acessar capital de curto prazo agora, urgente, tende a fechar as portas, porque o recurso irá demorar para ser liberado. Captação de recursos é uma opção para longo prazo da empresa. É preciso conhecer as linhas e as pessoas agora, para captar no futuro.

Contato: Felipe Wallau ou Trust & Co Investimentos

Sugestão para conhecer linhas de crédito: Acesse aqui

Sobre o EA Alumni

O EA Alumni existe para potencializar a experiência dos alunos e ex-alunos, aproximando-os dos melhores que passaram pela Escola de Administração, estimulando o surgimento de novas lideranças. Fazemos isso atualmente através de 4 frentes de trabalho: Mentoria, Conteúdo, Eventos e Endowment.

Frente às dificuldades que as empresas e empresários vem sofrendo nas últimas semanas devido ao novo coronavírus, estamos organizando uma série de webinários para falar sobre soluções para enfrentar a crise causada pelo Covid-19.

Estamos fazendo lives no Instagram todos os domingos, às 20h, onde grandes especialistas formados na EA e parceiros falam sobre o assunto e como enfrentar a crise causada pelo novo coronavírus.

Quer saber mais?

Acompanhe nossas redes sociais.

Site | Linkedin | Instagram | Facebook

Equipe EA Alumni

Leave a Reply

Se você é ex-aluno, conecte-se a rede EA Alumni

X
×

Powered by WhatsApp Chat

× How can I help you?